As vantagens dos cogumelos ganoderma são usufruídas no continente asiático há mais de quatro milénios e num passado recente têm vindo a ser igualmente aproveitadas por esse mundo fora graças à aposta de algumas empresas neste mercado.

Convém por isso ter em mente o que são factos e especulações acerca desta “erva de potência espiritual” para evitar mal-entendidos desnecessários, pelo que explicamos de seguida em detalhe os maiores benefícios do ganoderma para a saúde de quem o elege.

Recomendamos que antes da leitura do presente artigo dê uma vista de olhos pelo texto complementar no qual tivemos o cuidado de enumerar as mais-valias do consumo deste “cogumelo da imortalidade”. Nele poderá facilmente constatar que este tortulho tem sem dúvida propriedades únicas que ajudam no combate e prevenção de variadíssimas doenças, incluindo certos tumores, colesterol elevado, pressão arterial e glicemia.

Ganoderma e o sistema imunológico
Conhecido pelas suas comprovadas vantagens na consolidação do sistema imunológico, o ganoderma vai buscar à elevada quantidade de ingredientes com força imunológica que possui as suas capacidades para actuar positivamente neste campo. Elementos naturais como o tripertene e polissacarídeos são apenas dois dos responsáveis por essas propriedades de saludar, mas constituem o núcleo duro que contribui para essa acção.

O ganoderma lucidum em particular, a mais popular de todas as espécies de ganoderma, também conhecido por língzhī e cogumelo reishi (na Ásia), apresenta uma generosa concentração de agentes imunológicos que ajudam quem os consome a proteger mais o seu metabolismo e os órgãos vitais (coração, pulmões, fígado, rins e pâncreas) contra uma série de vírus de origem múltipla que atacam o corpo humano sem qualquer aviso prévio e causam habitualmente sérios problemas aos seus hospedeiros.

Ganoderma e o sistema cardiovascular
A medicina tradicional asiática tem aproveitado os benefícios do ganoderma desde que estes foram identificados e de entre os problemas em cuja aplicação destes cogumelos é mais frequente estão as enfermidades cardiovasculares.

Situações como o stresse, dores na zona peitoral e má circulação nos vasos sanguíneos é regularmente “brindada” com a prescrição do consumo periódico de ganoderma nos países orientais.

Os resultados de estudos científicos revelam que as espécies deste fungo comestível são ricas em ácido tripertene, um agente extremamente eficaz na redução da pressão arterial e dos níveis de colesterol, diminuição essa que baixa de forma considerável o risco de fulminantes ataques cardíacos e outros problemas cardiovasculares, a terceira causa de morte não natural que mais pessoas vitima em todo o mundo.

Ganoderma, fígado e hepatite
Em várias correntes terapêuticas o ganoderma é utilizado para atenuar problemas no fígado, embora o seu grande benefício neste aspecto específico seja a protecção anterior aos danos, pois aqueles que decorrem tanto de causas biológicas como fisiológicas neste órgão são de complicada cura na fase posterior, o que converte a prevenção na melhor “arma” contra flagelos desta índole.

De acordo com estudos recentes o consumo regular de ganoderma pode ainda aumentar as taxas de sucesso no combate à hepatite crónica, apesar de não existir para já consenso quanto a essa questão. No entanto, a verdade é que são cada vez mais as investigações científicas que atestam esse facto, o que poderá vir a impulsionar (bastante) a introdução desta “erva de potência espiritual” nos tratamentos das estripes hepáticas.

 

Tags: , , , ,